terça-feira, 14 de julho de 2009



Um longo caminho é percorrido na escuridão da noite
Sem luz, sem guia
Uma companheira me abandona
Sem pensar sigo em frente
Não olho o que deixei
A vida continua


Abaixo a cabeça
Uma lágrima escorre
Momentos de ternura e tristeza
Tento me recompor
De longe tenho uma visão
Caminha em minha direção
Por seus longos cabelos castanhos
Escorre uma suavidade
A profunda transparencia de seu olhar
Consegue chegar fundo
Onde homem algum chegou
Fecho meus olhos por um momento
A reflexão do surreal


Não era sonho
Ele se aproximava
Em seu rosto pálido
Sentia a leveza das nuvens
Como se nelas adormecesse
Sem nunca mais mais acordar
Em seus rubros lábios viajei
Uma viagem a um lugar nunca explorado
Entre astros e planetas
Sentimentos foram avivados


A visão caminhava
E mais perto chegava
Seu corpo transmitia a segurança
De todos os deuses
Mas por esse, meu corpo passou
Me virei para trás
E ele continuou caminhando
Um sentimento de inutilidade me dominou
A vida voltou ao que era.


Um longo caminho é percorrido
Na escuridão da noite
Sem Lua, sem guia
Um sentimento de inutilidade me dominou
Sem parar sigo em frente
Não olho o que passou
A vida continua
Caminhando até a morte.


Por Ana Carolina Giorgion

A um desconhecido
Que um dia cruzou
Por meu caminho
E deixou para sempre
A marca da Saudades.

0 comentários:

Postar um comentário

Poll

Lorem Ipsum

Total Pageviews

Tecnologia do Blogger.

About Me

About Me

Ocorreu um erro neste gadget

Popular Posts